Publicações

CDL de Criciúma vai prorrogar e parcelar mensalidade de março

A quarentena decretada para controlar o contágio de COVID-19 fechou o comércio e deixou muitos lojistas sem faturamento nestes dias. A diretoria da CDL de Criciúma, buscando meios de dar suporte aos associados da entidade neste momento, decidiu prorrogar e parcelar o pagamento das mensalidades do mês de março. O valor será parcelado em setembro, outubro e novembro. “Entendemos que o associado precisa de apoio neste momento”, explica a presidente Andréa Gazola Salvalággio. Na fatura que vencerá em abril, constarão apenas os serviços utilizados pelos associados, como as consultas ao SPC.

A prorrogação e o parcelamento das mensalidades fazem parte de uma série de ações que a CDL de Criciúma vem planejando para dar suporte aos seus associados neste momento. A partir de terça-feira, a entidade promoverá lives no perfil @cdlcriciuma trazendo esclarecimentos e informações que ajudarão os lojistas na condução dos negócios. As apresentações serão feitas em parceria com o Senac, o Sindilojas e a Vigilância Epidemiológica de Criciúma, sempre às 19h30min, e abordarão temas como informações trabalhistas, fluxo de caixa e ações comerciais e de marketing e orientações para prevenção do COVID-19 no ambiente de loja.

Articulação de espaço para atendimento aos lojistas

A preocupação dos lojistas de honrar os compromissos econômicos e manter os empregos foi pautada pela presidente da CDL,  Andréa Gazola Salvalággio, na reunião promovida pelo prefeito Clésio Salvaro no fim da tarde de domingo (29/03). Andréa sugeriu ao município uma estrutura de atendimento que traga informações, busque desburocratizar processos e ajude os comerciantes e empresários na busca de soluções, em especial no aspecto financeiro. “O prefeito e o secretário da Fazenda, Celito Cardoso, aprovaram a ideia e vão articular uma estrutura dentro da Casa do Empreendedor para cumprir esse papel, se possível com a presença de instituições financeiras ali mesmo para dar agilidade nos encaminhamentos”, relata a presidente da CDL.